quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Consulta à população pode ser solução para polêmica sobre Fazenda do Arado Velho

Foto: Ederson Nunes/CMPA
A pedido do Movimento Preserva Belém Novo, a Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) da Câmara Municipal realizou, em 8 de novembro, um debate sobre os impactos na saúde e no meio ambiente e as consequências da possível instalação de um loteamento, com mais de 2 mil casas, na região da Fazenda do Arado Velho, em uma área ambientalmente protegida do bairro Belém Novo e próxima à Reserva Biológica do Lami José Lutzenberger. Durante a reunião coordenada pela presidente da Cosmam, Lourdes Sprenger, ambientalistas, líderes de entidades e moradores da região Extremo Sul de Porto Alegre manifestaram-se contra o empreendimento. Os representantes do Município, por sua vez, informaram detalhes sobre a tramitação do projeto e se colocaram à disposição para esclarecimentos posteriores. O empreendedor, que era aguardado para prestar esclarecimentos aos presentes, não compareceu à reunião.

Entre as preocupações, estão o impacto no ecossistema, que inclui diversas espécies animais e vegetais, algumas delas correndo risco de extinção e protegidas por lei, e a destruição de banhados e matas, que pode intensificar as cheias do Guaíba, prejudicando a população da região. Entre as alternativas sugeridas para o uso da área, destaca-se o potencial para produção de alimentos, turismo, educação ambiental, pesquisa, lazer e cultura.


Ao final do encontro, a comissão encaminhou a criação de um grupo de trabalho (GT) para estudar a proposta de realização de um referendo ou plebiscito para consultar a população e, ainda, o encaminhamento de um projeto indicativo para que seja realizado um Estudo de Impacto de Vizinhança do empreendimento.